Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

69 Letras

Sobre nós! Este blog é a extensão do trabalho diário que todos os autores têm ativamente através da nossa página do facebook 69 Letras, onde partilhamos diariamente a nossa paixão pela escrita.

69 Letras

Sobre nós! Este blog é a extensão do trabalho diário que todos os autores têm ativamente através da nossa página do facebook 69 Letras, onde partilhamos diariamente a nossa paixão pela escrita.

Conto - Parte 1

12661804_1655289638050100_2193368995431484394_n

Começou com uma mensagem provocadora, conversas banais. Estando ele tão longe dela eram as mensagens que lhe restavam. Ela bem tentava ignorar o "bip" do telemóvel quando entrava uma mensagem. Mas ela não resistia em ver se tinha sido ele ou não. Assim que via, ter sido dele ela lutava consigo mesma para não abrir e... ler o que ele escreveu. Essa "luta" não demorava muito. Ganhava sempre a tentação. Era um vai e vêm de mensagens quentes. Arrepios e as cuecinhas molhadas era uma reação constante lendo as palavras escritas por ele – Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. Tão bom que já a tinha na palma da mão. – Passavam os dias a conversar sobre tudo um pouco.

Um dia ela ouve o som do seu telemóvel à tocar, sem ver quem era ela atendeu. Uma voz masculina, bonita – que lhe causou um arrepio imediato entre as pernas – cumprimenta-à. Era ele. Ela nunca tinha ouvido aquela voz tão sensual. Sem saber o que dizer ou fazer ela simplesmente sorriu. Passados alguns segundos ele pergunta se ela esta lá. Apercebendo que ainda não tinha dito nada ela cumprimenta-o. "O que estas a fazer neste preciso momento" pergunta ele. A resposta dela é quase imediata: "A vestir-me." Ela ouve um curto gemido. "Muito bem. Despacha-te e sai para fora. Hoje não vais dormir em casa." O mundo a volta para. Será que ouvi bem? - pensa ela. Como se ele lhe tivesse ouvido os pensamentos ele responde: "Sim ouviste bem. Estou a tua porta. Despacha-te." Ele desliga. Incrédula ela fica olhando para o seu telemóvel. Passados alguns minutos ela começa a vestir o resto da roupa e olha-se no espelho. Calças rasgadas e um T-Shirt de andar em casa. Eu não posso sair assim - pensa ela. Estando calor na rua ela despe a roupa novamente e veste um vestido lindo que nunca usou por vergonha. É um vestido que lhe destaca as curvas sensuais. É provocador e encantador. Ficando a ver o seu reflexo no espelho ela começa a pensar se ele realmente estará à espera ou não. Passa um batom vermelho nos seus lábios carnudos e cheios. Puxando o elástico que lhe prendia o cabelo começa a cair o seu cabelo ondulado sobre seu rosto e costas. Ajeita um bocado o cabelo para trás. E sai do quarto com a sua bolsa. Calça umas belas sandálias e sai porta fora. Lá esta ele. Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. O homem mais bonito que ela alguma vez viu. Sentindo suas pernas a tremer e suas cuecas a molhar ela segue em frente e para quando estão cara à cara. Tocando no rosto dela e puxando-a contra si ele beija os lábios dela que a tanto desejava. Com uma mão na sinta dela ele puxa-a ainda mais contra ele. Ele quer que ela sinta à tesão dele. À tesão que ela lhe causou no momento em que a viu. "Foda-se és tão bela." Diz ele enquanto a beija. "Quero-te possuir aqui mesmo."

.... continua..

Peregrinus #69Letras

1 comentário

Comentar post